Felipe Prior condenado a seis anos de prisão por estupro ocorrido em 2014, segundo a Justiça de SP

Por Elton Marques
10/07/2023

Felipe Prior, conhecido por sua participação no BBB 20 e por sua profissão como arquiteto, recebeu uma condenação de seis anos de prisão em regime semiaberto por estupro. A decisão foi proferida pela juíza Eliana Cassales Tosi Bastos, da 7ª Vara Criminal de São Paulo, no último sábado, dia 8, em relação a uma denúncia feita contra Prior em 2020. O caso encontra-se sob sigilo e o ex-BBB tem o direito de recorrer em liberdade.

As informações foram divulgadas pelo portal Universa, do UOL. No documento, a juíza afirma que não há dúvidas de que o crime ocorreu. Ela utiliza como fundamentos o prontuário médico da vítima, que recebeu o nome fictício de Themis, que apresentava laceração na região genital, além de capturas de tela de mensagens trocadas entre a vítima e o réu, depoimentos da vítima, de Prior e de testemunhas da defesa e da acusação.

Themis relatou ter sido estuprada por Prior em 2014. A decisão judicial destaca que o ex-BBB utilizou força física para cometer a violência, movimentou a vítima de maneira agressiva, segurou-a pelos braços e pela cintura, além de puxar seus cabelos. Themis pediu para que o arquiteto parasse, deixando claro que não queria manter relações sexuais.

O advogado de Felipe Prior foi contatado pelo portal Universa, mas não respondeu às perguntas até o momento da publicação deste artigo. Por sua vez, uma das advogadas da vítima, Maira Pinheiro, expressou alívio com a sentença após três anos de intensa luta. Ela afirmou que a cliente foi alvo de ataques durante o processo e que essa condenação representa o reconhecimento de que estavam certas desde o início.

Veja também:

Fique por dentro de outros assuntos do mundo do entretenimento e do mundo dos famosos no Instagram @entreter7 e no programa Antena Tarde. De segunda a sexta, às 13h com participação de Alexandre Moreno, na Rede Antena7 e na TV Farol (canal 16.1 em Maceió).

Esse texto pode ter conteúdo produzido por IA como co-autor.

POLÊMICA