“Fãs empolgados de Taylor Swift causam ‘TERREMOTO’ durante apresentação de ‘Shake it Off’ em Seattle”

Por Elton Marques
28/07/2023
"Fãs empolgados de Taylor Swift causam 'TERREMOTO' durante apresentação de 'Shake it Off' em Seattle"

Os admiradores de Taylor Swift, conhecidos como “swifties”, estão levando sua era de quebra de recordes a outro nível ao causarem uma atividade sísmica notável durante os shows da cantora em Seattle. Segundo a sismóloga Jackie Caplan-Auerbach, a energia gerada pelos fãs foi equivalente a um terremoto de magnitude 2,3. Essa ocorrência peculiar, apelidada de “Swift Quake”, foi comparada ao famoso “Beast Quake” de 2011, quando os torcedores do Seattle Seahawks ficaram em êxtase após um incrível touchdown do running back Marshawn “Beast Mode” Lynch. O entusiasmo dos fãs naquele momento também foi detectado pelo mesmo sismógrafo local usado no show de Taylor Swift.

Jackie Caplan-Auerbach, que é professora de geologia na Western Washington University, ficou intrigada com a comparação feita em um grupo de terremotos do noroeste do Pacífico que ela administra no Facebook. Ao analisar os dados de ambos os shows de Taylor Swift, realizados em 22 e 23 de julho, ela percebeu que os padrões de sinais eram notavelmente semelhantes. A principal diferença entre os shows foi o intervalo de tempo de cerca de 26 minutos, devido a um atraso no show de domingo. Apesar de a diferença de magnitude entre o “Beast Quake” e o “Swift Quake” ser de apenas 0,3, Caplan-Auerbach afirmou que os swifties superaram os torcedores dos Seahawks, pois o tremor foi aproximadamente duas vezes mais forte que o evento esportivo.

"Fãs empolgados de Taylor Swift causam 'TERREMOTO' durante apresentação de 'Shake it Off' em Seattle"

A especialista explicou que a duração do tremor foi a principal distinção. O entusiasmo após um touchdown é passageiro, durando apenas alguns segundos, mas em um show de Taylor Swift, a energia é sustentada ao longo de aproximadamente 10 horas. A música, os alto-falantes e a batida geram toda essa energia que pode penetrar no solo e causar as vibrações.

Caplan-Auerbach, empolgada com a oportunidade de se tornar uma “swiftie”, está principalmente motivada pela chance de desmistificar a ciência e mostrar que ela não se limita a laboratórios com pessoas vestindo jalecos brancos. Para ela, a ciência está presente em observações e experiências cotidianas.

Chloe Melas, da CNN, que também esteve presente em um dos shows de Taylor Swift em Seattle, compartilhou suas próprias experiências como espectadora. Segundo ela, ir ao concerto foi uma experiência totalmente única, onde era possível sentir literalmente o chão tremendo sob seus pés, e seus ouvidos ainda estavam zumbindo após o evento.

Até mesmo Taylor Swift sentiu a energia contagiante de seus fãs na costa oeste e agradeceu ao público de Seattle em uma postagem no Instagram na segunda-feira (28), mencionando todo o apoio recebido, os aplausos, gritos, pulos, danças e cantos entoados com entusiasmo durante o show.

Veja também:

Fique por dentro de outros assuntos do mundo do entretenimento e do mundo dos famosos no Instagram @entreter7 e no programa Antena Tarde. De segunda a sexta, às 13h com participação de Alexandre Moreno, na Rede Antena7 e na TV Farol (canal 16.1 em Maceió).

Esse texto pode ter conteúdo produzido por IA como co-autor.

FAMOSOS